terça-feira, 7 de junho de 2011

Corbenic Camphill Community


Após falar sobre a Escócia e os motivos que me levaram a escolher esse país, está na hora de falar sobre o Camphill que escolhi. Corbenic Camphill Community fica na região central da Escócia, há 20 quilômetros de Perthshire, uma cidade pequena e muito freqüentada por turistas de toda Europa (ver mapa da postagem anterior) e há 4 quilômetros de Dunkeld, um pequeno vilarejo com pouco mais de mil habitantes. O cenário do lugar é deslumbrante, pelo menos foi isso que vi até agora nas fotos que tive acesso, só poderei confirmar quando chegar lá, a propósito, quase tudo que digo neste Blog, por enquanto, só poderei confirmar ao chegar.
Corbenic é um dos poucos Camphills fazenda que existem, inclusive o único da Escócia, se não me falha a memória. Isso me faz lembrar de algumas perguntas dos formulários que se referiam a algo como: “Corbenic é uma comunidade rural, você pode afirmar que possui um estilo de vida adaptável e que pode morar em total isolamento?”. Não só perguntavam isso nos meus formulários, como também nas perguntas que meus referentes responderam, minha professora de Sociologia até virou pra mim e perguntou: “Será que você tem condições de viver num lugar desse seu Léo?”. Ora, claro! Devo lembrar que não só tenho condições, como quero ter esse estilo de vida.
Eu estou com algumas cartas de instruções aos novos voluntários, e elas falam sobre o que é recomendado eu levar e não levar, por exemplo, eles não acham saudável usar aparelhos de som portáteis, como iPods, MP3, Rádios etc, porém deixam bem claro que a vivência da música é algo muito valorizando, pois gostam de cantar e tocar instrumentos, neste aspecto tive que decepcioná-los, pois não toco nada, apesar de querer muito aprender. Um fato que me chamou atenção em uma dessas cartas foi a atenção deles em deixar claro para o novo voluntário que “WE DO NOT HAVE TELEVISION”, escrito em negrito e sublinhado. Algo que não faz diferença pra mim, não gosto de televisão e gostaria de ficar um bom tempo sem o barulho dela, eis a oportunidade! Porém não tirem de mim a internet, pois ai sim, haveria um grande problema, mas esse problema eu já sei que não vai existir.

Nessas últimas cartas que recebi, notei que escreveram meu último nome errado, ao invés de ter “Leo Ferreira”, tem “Leo Ferriera”, confirmando a minha tese que meu último nome é extremamente complicado para eles, tente imaginar a pronuncia de “Ferreira”, sairia algo como “Feueiuá”, ou “Feweiwa” para quem gosta da letra “W”. Achei bacana eles utilizarem “Leo” ao invés de “Leonardo”, isso demonstra hospitalidade, carinho e uma ligeira dose de intimidade, o que me ajuda a ficar mais a vontade. Lembro dos primeiros e-mails que mandei para Corbenic com a secretária escrevendo aquelas respostas bem formais, hoje o diálogo já está bem coloquial, com direito a carinhas e tudo.
O primeiro Camphill que escolhi, isso em 2009, era Simeon, um para idosos em Aberdeen, porém minha ida em 2010 não deu certo e naquele mesmo ano eles aumentaram a idade mínima dos voluntários para 21 anos, o que foi bom, pois tive que escolher outro lugar, e achei Corbenic, e quando entrei no site para colher informações, logo me identifiquei com tudo. Corbenic conta com 65 pessoas, 27 são adultos com necessidades especiais, os outros 38 são funcionários e voluntários. Os moradores se dividem em 5 grandes casas, essas estão separadas umas das outras numa área de 50 hectares.
Numa comunidade Camphill, todos trabalham, aprendem, crescem, contribuem para o bem-estar do próximo. O tempo dos moradores é meticulosamente preenchido com várias atividades coletivas, especialmente de caráter terapêutico, como “workshops”, leia-se “oficinas”, elas variam entre oficinas de massas, artesanatos, vários tipos de arte, jardinagem, marcenaria, entre outras. Ao conversar com um dos brasileiros que estão lá, Guilherme, ele me falou sobre a excelente qualidade de vida, algo que fica até difícil de largar para voltar ao Brasil. Inclusive, todos os brasileiros que converso me dizem que é uma experiência magnífica, é difícil achar algum que se arrepende, falam sobre as dificuldades, os momentos difíceis, mas nunca que voltariam atrás ou desistiriam, todos bem felizes e realizados.
Estou curioso para saber que tipo de trabalho farei, como será minha vida, meu cotidiano, como as pessoas reagirão à minha personalidade, como será o desenvolvimento do idioma novo, como será o frio de rachar, pois até com isso estou curioso. Quem conhecerei, de onde são, o que trazem de bom do país de onde vieram. Como será minha adaptação, será que sou daqueles que conseguem se adaptar a qualquer estilo de vida? Creio que sim, mas preciso de provas maiores para me certificar disso.
Não tenho tantas informações de Corbenic além do que eles oferecem no site (fim do post), então quem quiser saber mais é só dar uma lida lá. Selecionei várias fotos que dão uma idéia do Camphill, e principalmente dois vídeos sobre os Camphills da Irlanda, não mostram o que eu vou, mas como todos são bem parecidos, dá pra ter uma idéia ampla do ambiente que encontrarei em solo escocês. Até mais e fiquem com Deus!


Fora de uma das casas


Outside


Fazenda


Construções históricas preenchem o cenário


Inverno rigoroso


Pegar um sol?


Muita neve


Apresentações musicais


Venda de produtos fabricados no próprio Camphill


Outside


Hotel para quem for me visitar


Dunkeld


A alimentação é saudável mas também rola um barbecue


Trabalho na fazenda sô


Alguns feriados possibilitam passeios e viagens


Oficina terapêutica


Artesanato


Mais fazenda


Super Pig


Pato, pato, pato, pato, pato.


Gado?

Lavanderia





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Liberdade com responsabilidade nos comentários.