domingo, 5 de junho de 2011

Por que Escócia?


Todos me perguntam o que diabos me levou a escolher a Escócia como meu destino, afinal, não é um país muito comum para os brasileiros que buscam uma experiência no exterior pela primeira vez. Se fosse para escolher algum país daquela região, o mais coerente seria Inglaterra, não? Talvez, mas preferi a Escócia, com suas montanhas e castelos imponentes, com seu povo hospitaleiro e seu sotaque forte, com sua cultura marcante e sua história admirável, entre outros fatores que dão àquele país toda uma magia que muito me atrai.

Mas com certeza a Escócia nunca foi algo que passou pela minha cabeça, era um lugar fascinante que eu via de muito longe, pretendendo um dia fazer uma breve visita caso a vida permitisse. Porém, a oportunidade surgiu, e quando eu menos esperava, havia a possibilidade de viver por um bom período na terra do libertador William Wallace, quem nunca assistiu “Coração Valente”?

Ao aceitar trabalhar em uma comunidade Camphill, eu tinha várias opções, desde América do Norte até Ásia, mas Europa sempre teve aquela força a mais no meu inconsciente, talvez por uma atração que sempre mantive pela história, somada ao desejo de viver em um lugar pacífico, organizado e de cultura forte, o que é excelente para minha formação humana e profissional.

Na Europa, o movimento Camphill tem foco no Reino Unido, ou seja, a unificação formada por Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales, tendo como vizinha a Irlanda, que apesar de não fazer parte do Reino Unido, também se destaca com suas comunidades Camphill. Portanto, essas eram minhas 5 opções. Inglaterra foi a primeira a ser descartada, pois queria algum país que fugisse do comum, um lugar onde o turismo não tem tanta força quanto à terra da rainha, um lugar que eu teria menos oportunidade de visitar no futuro.

Descartei País de Gales por não ter tanto conhecimento a respeito e não haver nenhum Camphill de meu interesse, além de que eles também falam galês, o que não seria algo positivo na minha pretensão de praticar o inglês. Sobravam as duas Irlandas e a Escócia. As Irlandas também são países interessantes, possuindo características semelhantes à Escócia, porém, aquela voz do inconsciente veio e me lembrou o velho sonho de onde eu queria viver.

A escolha não foi muito difícil, até porque além da preferência, encontrei Corbenic, um Camphill fazenda numa das regiões mais bonitas do planeta, construído em cima das terras que dão nome a esta série. Então, tudo foi somando e a situação era que eu trabalharia numa comunidade no meio das Highlands, com direito a florestas, vida na fazenda, caridade, aprendizado, castelos, muita neve e muita fantasia cinematográfica no fundo disso tudo. Fiquei feliz com o destino, parecia realmente um sonho, e eu que planejava aceitar até emprego de zelador de lanchonete nos EUA, estava prestes a trabalhar com algo especial, num lugar especial e com pessoas mais especiais ainda.


A Escócia fica ao norte da ilha britânica, logo acima da Inglaterra, tem pouco mais de 5 milhões de habitantes, o que é menos que a metade da população da cidade de São Paulo. Fazendo parte do Reino Unido, é comandada por uma monarquia constitucional liderada pelo primeiro ministro David Cameron. O clima temperado é bem semelhante ao da vizinha Inglaterra, com muita chuva, muita nuvem, muito cinza e no inverno muita neve, um frio de rachar agravado pelo fator altitude, principalmente nas terras altas, como as que me fixarei. E eu que morei praticamente a vida toda no calorzão de Fortaleza, já estou arrumando tudo que tenho de roupa de frio para levar, mesmo já tendo sido informado que esse tipo de roupa é bem barato lá. Não posso negar que era isso que eu queria mesmo, está na hora de compensar os suplícios de calor que já passei por aqui. Todos dizem que vou sentir falta, bom, isso só saberei quando estiver lá, vamos ver.


A imagem abaixo é uma foto de satélite da Escócia, notem as 3 cidades com os nomes maiores, Glasgow, Edinburgh e Aberdeen, são as três maiores cidades do país, nessa ordem. O “X” em vermelho é a região onde fica o Camphill que trabalharei, uma zona rural próxima a um pequeno vilarejo chamado Dunkeld, pouco mais de mil habitantes vivem lá, é tão pequeno que quando as pessoas se referem àquela região, preferem falar em Perth, uma cidade um pouco maior, sede de alguns festivais e atrações turísticas famosas entre os europeus.


Bom, é isso, caso queiram mais informações, perguntem nos comentários que ficarei feliz em responder. Abaixo deixarei mais um belo vídeo com várias imagens e uma trilha sonora espetacular. No próximo post falarei mais sobre Corbenic. Quero aproveitar para lembrar que meu blog está participando do “PRÊMIO TOPBLOG 2011”, e quem quiser me dar uma força, é só clicar naquele selo azul na lateral direita da tela e votar. Faltam 36 dias, e como diria William Wallace, "Freeeeeeeeeeeeeeeeeedooooom!". Abraço a todos e até breve!

6 comentários:

  1. Muito legal Léo!
    Sou mais um que vibra por vc. Toda viagem é mágica, leve com vc "a mente esperta e um coração tranquilo". Siga com Deus!
    bjs Rosane

    ResponderExcluir
  2. Leo! tava lendo aqui seu blog e fiquei fascinada com esse programa escolhido por você...realmente é bastante atrativo para aqueles que querem fugir do trivial, bem como experimentar vivências num local mais peculiar. Achei o máximo e certamente se parece mais contigo! No mais, boa viagem e aproveite cada segundo dessa experiência que muito lhe enriquecerá culturalmente. Good Luck! :)

    ResponderExcluir
  3. Pois é Ju, deve ser uma ótima experiência, tomara que dê tudo certo mesmo, só acreditarei quando chegar lá. Muito obrigado pelos votos, sucesso e abraços! :)

    ResponderExcluir
  4. Boa sorte! Vai ser uma Big experience! good Luck!

    ResponderExcluir
  5. Muito maneiro! Eu adoro a Escócia, não sei explicar bem o porque!

    ResponderExcluir

Liberdade com responsabilidade nos comentários.