segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Como ser Voluntário em um Camphill - Terceira Parte

Uma das casas de Corbenic.
Agora que já vimos a primeira e a segunda parte, chegamos ao website da comunidade camphill escolhida, enfim você iniciará o seu contato com o exterior. Não tem nenhum segredo, após explorar o website e saber tudo sobre a comunidade escolhida, leia a parte sobre “Voluntariado” que geralmente eles disponibilizam para você ficar ainda mais informado(a) sobre o funcionamento de coisas importantes que deve saber. Procure a forma de contato que a comunidade disponibiliza, geralmente por e-mail. Algumas comunidade da Irlanda selecionam seus voluntários diretamente pelo o website, neste caso siga as instruções que eles oferecem e faça o que for necessário.

Após descobrir o e-mail da comunidade, basta escrever para eles tudo que você quer saber, “tem vagas para novos voluntários?”, “quando eu posso aplicar?”, “quais as exigências?”, jogue suas perguntas, muitas deles eu mesmo posso responder, mas para primeiro contato essas perguntas básicas caem bem, faça uma curta apresentação sua é claro, nome, nacionalidade, ocupação, expectativas etc. Após ter enviado o primeiro e-mail, aguarde a resposta e a partir daí cada Camphill tem seu processo, siga as instruções e as exigências de cada um e tudo deverá correr bem.

Quanto ao processo de seleção basicamente será o seguinte, dependendo de comunidade para comunidade, em Corbenic pelo menos é assim:

1. Um formulário será enviado para que você o preencha com todas as suas informações.

2. Seu formulário será analisado no escritório juntamente com o(a) coordenador(a) da comunidade.

3. Se eles acharem o seu perfil interessante para a comunidade lhe escreverão logo em seguida.

4. Será marcada uma entrevista via Skype para que eles confirmem se você pode pelo menos se comunicar em inglês. Sem desespero, é só uma entrevistazinha com umas 3 perguntinhas tranquilas. Eles fazem isso só para evitar que pessoas que não saibam dizer um “a” de inglês tentem se candidatar. É uma peneirinha, ninguém tá esperando um inglês de nativo, eles sabem que você é estrangeiro(a) e estão acostumados a lidar com inglês de gente da Ásia e do leste Europeu, ou seja, se você pelo menos assistir filme em inglês eu creio que já se saia melhor que os candidatos vindos dessas partes do mundo.

5. Após você ser aprovado na entrevista, serão solicitadas duas referências de pessoas que você conhece que tenham trabalhado com você, pode ser um professor, um chefe, um colega de trabalho, tem gente que até arrisca alguém da família, mas não é o recomendado, procure alguém mais imparcial. As referências devem ser, é claro, em inglês, se a pessoa não souber você deverá traduzir, mandar e torcer para que o Camphill não invente de contactar essas pessoas que não saberão responder o e-mail (até o telefone deles deve estar na referência, mas muito dificilmente eles ligarão).

6. As referências deverão ser enviadas por e-mail ou correio, agora não me recordo.

7. Também será exigido um documento de antecedentes criminais, emita-o na delegacia mais próximo e leve a um tradutor juramentado, creio que este documento só precisará ser escaneado e enviado.

8. Alguns Camphills também exigem algum exame médico em relação a sua saúde, este não é o caso de Corbenic.

9. Basicamente é só isso, se tudo correr bem a sua vinda será confirmada por eles.

Depois de toda essa papelada interna do Camphill a sua ida será finalmente confirmada quando eles emitirem uma carta de visto, essa carta é o papel mais precioso de todo o processo (no caso do Reino Unido) pois ela é basicamente um comunicado do Camphill ao governo do Reino Unido dizendo que eles querem trazer você para ser voluntário, oferecerão tudo para sua manutenção no país e CONFIAM plenamente na sua palavra para que este documento seja corretamente utilizado na emissão de um visto britânico. Ao receber esta carta você pode se considerar 90% dentro do programa, mas não relaxe, ainda falta o visto, a parte mais chata e trabalhosa.

Resumindo o post bem grosseiramente: “CONTACTE O CAMPHILL, DIGA QUE VOCÊ QUER SER VOLUNTÁRIO E DESEJA SABER COMO DEVE PROCEDER”. Deste ponto para frente eles te guiarão, haverá uma pessoa trabalhando exclusivamente para isso e você pode tirar todas as suas dúvidas com ela. Não se preocupe quanto ao seu inglês se não for dos melhores, basta se comunicar de qualquer forma. Próximo post trataremos sobre a emissão do visto britânico, não lembro de tudo com exatidão mas farei o possível para fornecer o máximo de informações que posso. Qualquer dúvida você também pode me escrever via Facebook. Até mais!

Um exemplo de quarto individual.

Trabalhos na Fazenda.

Natureza exuberante ao redor.

Garden Workshop.

Um dia de trabalho na Padaria.

domingo, 6 de outubro de 2013

Um dia em 2082.

Hoje acordei às 5:00 da manhã como bem havia planejado na planilha de expectativas para este mês de Outubro, estou tentando me adaptar ao horário de sincronia natural tanto recomendado pelo governo, chega de despertar tão tarde, minhas atividades nunca serão otimizadas se continuar ajustando a câmara regeneradora para às 5:40, além do mais meus tutores estão preocupados em relação ao meu aproveitamento vital e já cansei de ir ao centro de autoanálise, nada contra, mas tem uma hora que a gente tem que parar com tanta autoanálise e começar a agir.

A primeira coisa que gosto de fazer pela manhã é a higienização a vapor para ativar novamente meu corpo, ajusto o higienizador para uma temperatura morna de início e o programo para esfriar de acordo com a adaptação corporal, assim películas de água são jorradas por toda parte e me sinto novo para começar o dia. Estou gastando cerca de 3 litros de água pela manhã desde que meu medidor deu defeito na semana passada, o ideal seria 1,5 e por causa disso já recebi uma notificação de que uma equipe de manutenção virá à minha residência. Não gosto muito deles, sempre que os androides fazem algo por aqui eles descobrem mais problemas, mas não posso reclamar, um problema em minha casa é um problema para todos ao redor, não quero ser mal visto pela vizinhança, já basta esse problema da água que me faz parecer o sangue-suga do cinturão D-09, o que não falta aqui é gente que se acha perfeita, às vezes até penso em me mudar para outro continente, não sei onde, talvez América Central, cinturão B-07 ou F-42, fiz amigos lá desde a minha última viagem e recebi boas recomendações. Estou querendo um lugar mais quente, já vou completar 4 anos no nordeste asiático e sinto que já está na hora de experimentar a vida em um lugar diferente.

Depois da higienização minha roupa já está preparada tendo em vista o tempo hoje, o painel mostra que o dia será nublado e com vento frio vindo do oeste da Sibéria, visto minhas camadas térmicas e logo após o conjunto que escolhi para este semestre, só tenho que escolher a tonalidade de cor, geralmente escolho azul claro, é o que mais se ajusta aos meus sentimentos atuais. Dirijo-me a cozinha e escolho um dos compactos de frutas disponíveis, 40 opções, mas sem sombra de dúvidas meu favorito é o mix de banana, maça e laranja, adiciono à água tonificada e tomo juntamente com minhas vitaminas, a higienização bucal é feita neste mesmo processo e eu já estou pronto para começar o dia.

Altero as opções da residência para ausente e a deixo,  aprecio os belos jardins do meu cinturão, não são dos mais bonitos como os que conheci semana passada no sul da África, mas ainda sim muito atraentes e cheios de vida, nem tanto agora que estamos entrando em mais um rigoroso inverno, os pássaros já estão partindo desde o mês passado. Subo em meu disco levitador e me conduzo à estação maglev, trajeto que leva cerca de 50 segundos, este tempo será reduzido em breve pois um cinturão da Índia encontrou uma forma de melhorar a inclinação do disco levitador, isso pode deixá-lo 2,3% mais rápido dependendo do porte da pessoa que o utiliza. Esses Indianos são demais, desde à revolução de 2028 eles não param de inventar coisas novas, nas duas vezes que fui lá fiquei encantado com os progressos técnicos de alguns cinturões, mentes brilhantes trabalham no setor de transporte e locomoção, além dos grandes profissionais da robótica que lá se ajustaram em função da grande migração japonesa.

Meu disco levitador fica guardado na estação enquanto espero a chegada do maglev, temos vários em atividade o dia inteiro, a espera por um desses não passa de 1 minuto, isso também se deve ao fato das cidades inteligentes de cada cinturão serem circulares e estarem plenamente ligadas umas com as outras, ao pegar um maglev posso me locomover rapidamente em linha reta até o centro da cidade. Da minha estação até o centro leva-se 4 minutos e 28 segundos, contando com as 3 paradas feitas em outras estações, não moro muito longe. Este tempo é sempre exato, assim como todos os serviços e dispositivos oferecidos pelas cidades e cinturões, tudo melhorou muito com a ampliação dos sistemas robotizados, os pais dos meus pais não tiveram essa mesma realidade.

O centro de D-09 é incrível, aqui se vê pessoas de todas as partes do mundo, especialmente os interessados em ciências da terra como geografia, geologia, geofísica e outras mais, este é um dos principais pólos de desenvolvimento dessas áreas que temos no planeta. Eu, por exemplo, gosto muito das áreas que citei, mas ainda não defini qual será minha área maior de pesquisa, ainda tenho 23 anos, ainda falta muito para me engajar em algo mais profundamente, minha idade é para se fazer experiências. Pergunto-me onde estão meus colegas das primeiras escolas no Brasil, provavelmente espalhados por todo o globo, aos 18 anos todos saem em busca do que querem, os que gostam de história e arte geralmente vão para algum cinturão na Europa, matemática e economia para China ou Coréia, robótica para a Índia, física para a América do Norte, ciências do mar para arquipélagos, Oceania ou América Central, agricultura e biotecnologia permanecem no Brasil, as opções são vastas. Ainda tem aqueles que optam pela vida nas cidades velhas como Londres, Nova York, São Paulo e outras, geralmente são jovens buscando alguma forma diferente de inspiração para determinado projeto pessoal, eu particularmente não gostaria de viver lá, tudo antigo e ineficiente, cheio de idosos conservadores e androides programados para manter nosso patrimônios históricos, é até legal conhecer, mas viver? Para ser sincero nem sei como as gerações passadas conseguiam ter uma vida normal em uma aglomeração caótica como costumavam ser as cidades velhas.

Além de multi-cultural, o centro de D-09, assim como a maioria das cidades inteligente tradicionais, possui tudo que é necessário para os cidadãos, qualquer tipo básico de bem e serviço pode ser encontrado aqui com abundância, quando o cidadão precisa de algo diferenciado isso também é fornecido contanto que seja por alguma razão específica como experiências, pesquisas, eventos especiais e coisas do gênero, se a cidade não tiver este bem, ele é rapidamente importado pela cidade que o possui mais próxima, se ele não existir a ideia será enviada diretamente para os centros de pesquisa mundo a fora e o idealizador deverá esperar pela sua “invenção”, e caso não houver tecnologia suficiente para o empreendimento uma mensagem será enviada para a cidade solicitante explicando o porquê deste novo bem não poder ser construído. Nada falta nos cinturões ao redor do mundo, os recursos do planeta são bem distribuídos a partir de seu monitoramento e a produção de bens necessários é feita com eficiência e agilidade pelas fábricas robotizadas.

O mundo é um grande sistema, tudo e todos estão interligados, os recursos são monitorados, as doenças, os nascimentos, as mortes, tudo é registrado no momento em que acontece. Temos centros de monitoramento na América do Sul, América do Norte (este cobre a América do Norte, Europa, África, Norte da Ásia e Sul da Ásia (este cobre a Oceania), e todos os 6 estão ligados e trabalhando em conjunto. A meteorologia também é algo intensamente vigiado, sendo importante para a manutenção do planeta e a produção de energia abundante para todo o globo. Tiramos e repomos tudo que precisamos da natureza, cuidados do planeta como poucos, como uma família cuida de sua bela casa.

Ah não, já são 20:30, tenho que me preparar para o sono, assim não poderei continuar descrevendo sobre meu dia e como tudo funciona por aqui, mas pretendo tornar a dizer mais em breve, a câmara regeneradora já está se abrindo e meus olhos já estão a fechar. Eu poderia acelerar este processo com o comando de voz para a escrita mas gosto de escrever da maneira antiga, assim como meu avô me ensinou, é como uma terapia ao final do dia, às vezes é bom voltar às origens do começo do século. Uma boa noite!