sábado, 5 de abril de 2014

Opinião Pública, não custa nada questionar.

Será que ninguém desconfiou algo de errado com esta pesquisa sobre as causas do estupro no Brasil? Será que seremos conduzidos como um passivo rebanho em toda publicação polêmica promovida pelo governo para sabe se lá quais objetivos? Vamos raciocinar, ao observar esta sociedade é fácil perceber que qualquer homem brasileiro é acostumado à presença de meninas e mulheres com trajes curtos ou que para alguns podem ser até provocantes, pouco importa a definição. Até parece que um short curto ou um decote leva o homem ao estupro, logicamente esses criminosos já tendem a praticar tais atos e pouco importa o traje de suas vítimas. A culpa é sempre do estuprador e ponto final, nem precisava de pesquisa sobre isso.

Eu não sei quanto ao seu caso, mas se eu perguntar para 10 pessoas de meu círculo social quem é o culpado pelo estupro eu tenho quase certeza que pelo menos 9 irão dizer que o traje utilizado pela mulher está longe de ter alguma culpa nos casos de violência sexual. Não é possível que ninguém parou para analisar que a pesquisa entrevistou pouco mais de 3.000 pessoas, sendo grande parte delas de baixíssima instrução.

A maioria das pesquisas do governo não retrata um perfil da heterogênea população brasileira, geralmente essas pesquisas acabam apenas por promover pseudo-heróis da justiça social e artistas que se aproveitam da polêmica para aparecerem um pouco nas redes sociais e garantirem um aumento de cachê para seus próximos trabalhos.  Além de também servirem para futuras criações de leis "humanitárias" que por trás escondem falcatruas políticas às quais estamos habituados.

Existem tantas coisas importantes ocorrendo atualmente no país e ninguém parece se manifestar, é impressionante a facilidade que os governantes possuem para ludibriar o povo com suas pesquisas de opinião e seus assuntos irrelevantes que buscam dividir a nação em classes conflituosas. Não quero dizer aqui que pesquisas de opinião pública são irrelevantes, mas não podem ser aceitas em primeiro ato como verdade absoluta ao ponto de jovens saírem por aí tirando fotos sem roupas nas redes sociais pedindo respeito, fala sério. Vamos pensar direito sobre como evitar violência sexual? Então vamos investir em educação, punir os criminosos com veemência, proteger e apoiar as vítimas e mostrar para a sociedade quais as consequências que um indivíduo deve enfrentar ao praticar tal crime.