terça-feira, 10 de junho de 2014

Sobre a Liberdade Individual.

Sou totalmente contra o fumo, porém sou totalmente contra qualquer lei que limite a utilização de cigarros. Sou quase que totalmente contra o uso de drogas, porém sou totalmente contra qualquer lei que limite o uso de drogas. Sou totalmente contra a utilização de armas, porém sou totalmente contra leis que limitem a utilização de armas. Acho que não sou a favor de andar sem roupas em ambientes públicos, porém sou totalmente contra leis que proíbam uma pessoa de se vestir da maneira que quiser, ou mesmo de não se vestir. Não gosto muito de cambistas, porém sou totalmente contra qualquer lei que limite a pratica do cambismo, considerando que essa é uma prática comercial legítima (uma prática comercial legítima é uma troca voluntária entre dois indivíduos independente da regulação e tributação do estado). Não como carne e sou contra o consumo de animais como alimentos, porém sou totalmente contra qualquer lei que limite o consumo dos mesmos.

Tenho meus princípios e os defendo, porém sou contra qualquer nível de coerção que force outros indivíduos a seguirem o que acredito, pois isso não seria nada mais que as crenças de um determinado ser (no caso eu), ou grupo, sobre outro determinado ser ou grupo. Quem somos nós para determinar o que outro indivíduo deve fazer ou acreditar que o que sustentamos é o melhor para todos? Eu acho cigarro ruim, mas quem sou eu para dizer que a minha colega Julia deve parar de fumar? Talvez isso seja bom para ela e eu até possa tentar convencê-la de que o cigarro é ruim, mas defender uma lei que force a Julia a parar de fumar? Quem sou eu? Quem sou eu para dizer que um indivíduo não pode ter uma arma por motivos de segurança? Sou por acaso um Deus ou um PhD que entende tudo sobre segurança pública e comportamento humano? Talvez se eu fosse um PhD nessa área saberia que grande parte de países e estados que a população é mais armada são aqueles com os menores índices de homicídios.

Quem sou eu para acreditar que uma lei que proíbe os clientes do bar do João de fumar é benéfica à comunidade? O bar não é do João?! Então deixem que o João decida se pode fumar ou não em seu estabelecimento! A melhor legislação é aquela que privilegia as liberdades individuais, é aquela que dá ao ser-humano a bela oportunidade de errar, acertar, e aprender de acordo com seus êxitos e fracassos. Uma legislação que reprime as escolhas dos indivíduos baseada na crença de que é a “vontade da maioria” não é mais que a imposição de certos valores sobre outros indivíduos, que deveriam vir a este planeta livres e em totais condições de usufruírem de seu livre-arbítrio para viverem de acordo com suas aspirações e necessidades subjetivas. Por que temos tanta ânsia em impor nossos valores aos outros? Por que queremos mudar o mundo nos baseando no que acreditamos? Visivelmente esse desejo não é mais que a manifestação de nosso deplorável orgulho que não permite aos outros indivíduos uma vida que fuja de nossos princípios, afinal, sempre estamos certos. Agora com franqueza, a melhor maneira de mudar o mundo é sem dúvida fazermos a nossa parte, respeitarmos as diferenças e sermos eternos defensores das liberdades individuais, pois as liberdades individuais constituem a grande força motriz que faz a civilização humana experimentar o verdadeiro e natural progresso, e quando a liberdade é reprimida, o resultado é sempre desastroso (ditaduras, opressão etc).


Mas até onde vai o limite da liberdade individual? Em que momento o indivíduo deve se sujeitar aos interesses da maioria? Bom, parece-me que a liberdade individual acaba quando ela invade ou ameaça outra liberdade individual, é o caso do homicídio, do cárcere privado, do roubo, da escravidão, da ameaça à vida e uma série de outros crimes que no fundo do entendimento humano sempre foram crimes e tudo indica que sempre serão. Se eu estou em um parque e um sujeito está fumando ao meu lado e isso me incomoda, eu apenas mudo de lugar, pois sou livre para me distanciar daquele indivíduo. Porém, se este indivíduo começar a me seguir, claramente ele está cruzando o limite de sua liberdade individual e adentrando criminosamente em minha liberdade individual, e isso não é aceitável.

Regulações e leis que limitem as liberdades individuais nunca vão trazer verdadeiras e profundas mudanças na sociedade, e sim deformidades que acabam sendo muito piores, como o tráfico. As verdadeiras mudanças deverão acontecer de acordo com o diálogo, a reflexão, a educação direcionada ao pensamento próprio de cada indivíduo, e tudo isso em um ambiente de total liberdade, livre de repressão sobre as decisões pessoais de cada um. Por isso, devemos refletir quando uma nova lei for criada sob aplausos e elogios acalorados, pois afinal de contas, feliz é aquela nação livre que pouco precisa de coerção.